2 de junho de 1854

2 de junho de 1854

Neste dia foi fundado o jornal O Comércio do Porto que à data do seu encerramento em 2005 era o segundo jornal mais antigo em Portugal.

Inicialmente designado por O Commercio e com uma periodicidade trissemanal às segundas, quartas e sextas, vendia-se por 40 réis.

No ano de 1855 passou a ser um jornal diário e no ano seguinte adotou a sua designação conhecida até hoje.

Teve algumas figuras ilustres como seus colaboradores, destacando-se o rei D. Carlos, a rainha D. Amélia ou Camilo Castelo Branco, só para citar alguns exemplos.

A sua última edição foi impressa no dia 30 de julho de 2005 depois de uma tentativa frustrada de um grupo espanhol salvar o jornal.

Personalidade nascida neste dia

No dia 2 de junho de 1865 nasceu Amália Luazes, pedagoga e escritora portuguesa.

Foi uma grande defensora da educação da mulher e da extinção do analfabetismo, tendo fundado as secções masculina e feminina do Instituto do Professorado Primário Oficial Português.

Publicou as obras Método Legográfico Luazes, Contos para os nossos Netos, Leituras Instrutivas e A Escola da Vida. As duas últimas obras referidas foram aprovadas pelo governo.

Estas obras foram premiadas na Exposição Internacional do Centenário da Independência do Brasil (1922-1923) e na Exposição Internacional de Barcelona em 1929.

No dia 11 de abril de 1931 recebeu o grau de Oficial da Ordem da Instrução Pública, tendo ainda sido condecorada com a Medalha de Mérito da Ctuz Vermelha.

Morreu no dia 24 de dezembro de 1938.

amalia_luazes.jpg

 

Anúncios

24 de novembro de 1936

24 de novembro de 1936

Neste dia foi publicado o Decreto-lei n.º 27:279 que promovia uma reforma do ensino primário com o intuito de se combater o analfabetismo e assegurar aos portugueses um grau elementar de cultura.

Esta reforma previa o ensino da Língua Portuguesa, Aritmética, Moral, Educação Física e Canto Coral.

Previa também a existência de um único livro para cada classe e a separação dos sexos nas aulas.

Entre outros requisitos destaca-se ainda a obrigatoriedade de todos os alunos pertencerem aos quadros da Mocidade Portuguesa.

Personalidade nascida neste dia

O dia 24 de novembro de 1906 viu nascer em Lisboa o professor e poeta Rómulo Vasco da Gama de Carvalho, mais conhecido pelo pseudónimo de António Gedeão.

Rómulo de Carvalho foi professor de química no Liceu Pedro Nunes e no Liceu Camões, tendo ficado reconhecidas as suas qualidades de pedagogo, divulgador de ciência e investigador de História da Ciência.

O seu inestimável contributo para a ciência está materializado na escolha da sua data de nascimento como o Dia Nacional da Cultura Científica.

Na poesia ficaram famosos poemas como a Pedra Filosofal ou a Lágrima de Preta, que se reproduz de seguida:

Lágrima de preta

Encontrei uma preta

que estava a chorar,

pedi-lhe uma lágrima

para a analisar.

Recolhi a lágrima

com todo o cuidado

num tubo de ensaio

bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,

do outro e de frente:

tinha um ar de gota

muito transparente.

Mandei vir os ácidos,

as bases e os sais,

as drogas usadas

em casos que tais.

Ensaiei a frio,

experimentei ao lume,

de todas as vezes

deu-me o que é costume:

Nem sinais de negro,

nem vestígios de ódio.

Água (quase tudo)

e cloreto de sódio.

Morreu no dia 19 de fevereiro de 1997 com 90 anos e está sepultado no Jazigo dos Escritores Portugueses no cemitério dos Prazeres em Lisboa.

antonio_gedeao-1