22 de abril de 1500

22 de abril de 1500

Nesta data Pedro Álvares Cabral torna-se no primeiro europeu a chegar ao Brasil.

Desembarque_de_Pedro_Álvares_Cabral_em_Porto_Seguro_em_1500_by_Oscar_Pereira_da_Silva_(1865–1939).jpg

Este território era habitado pelos indígenas ameríndios, que estavam divididos entre milhares de grupos étnicos e linguísticos, mas com a chegada do navegador português passa a fazer parte do Império Português.

Personalidade nascida neste dia

No dia 22 de abril de 1640 nasceu a freira portuguesa, Mariana Mendes da Costa Alcoforado ou Mariana Vaz Alcoforado.

Era freira no convento de Nossa Senhora da Conceição em Beja, mas ficou famosa por ser considerada a autora das cinco Lettres Portugaises, que foram dirigidas ao Marquês Noel Bouton de Chamilly. Este marquês, oficial militar francês, lutou ao lado dos portugueses na Guerra da Restauração.

Esta obra literária tornou-se num clássico da literatura mundial e refletia o escandoloso amor desta freira pelo oficial francês.

Houve quem pusesse em causa a autenticidade destas cartas, incluindo Rousseau, por achá-las belas demais para serem escritas por uma mulher, e os escritores portugueses Alexandre Herculano e Camilo Castelo Branco. A freira Mariana Alcoforado reabilitou-se pelas boas obras e sacrifícios feitos, tendo chegado à posição de abadessa.

Morreu aos 83 anos no dia 28 de julho de 1723.

Sóror_Mariana_Alcoforado_-_Capa

30 de novembro de 1162

30 de novembro de 1162

Neste dia Beja foi reconquistada aos mouros por um exército de cavaleiros-vilãos de Santarém comandados por Fernão Gonçalves. Outras fontes também referem a participação nesta reconquista de Geraldo Sem Pavor.

Na sequência deste feito foi construída a ermida de Santo André.

Personalidade nascida neste dia

No dia 30 de novembro de 1720 nasceu André Soares, de seu nome completo André Ribeiro Soares da Silva.

Foi um arquiteto de barroco rococó num estilo muito pessoal.

Durante muitos anos a sua obra foi completamente ignorada e em grande parte atribuída ao arquiteto Carlos Amarante.

O reconhecimento merecido da sua obra só aconteceu quando o historiador americano Robert Chester Smith veio para Portugal e o considera um dos expoentes do rococó na Europa. Este historiador diz mesmo que Braga é uma cidade “soaresca”.

Na sua vasta obra destacam-se a Capela de Santa Maria Madalena da Falperra, o edifício da Câmara Municipal de Braga, o Palácio do Raio, a Igrja dos Congregados e o Arco da Porta Nova.

É, nas palavras de Eduardo Pires de Oliveira, “o vulto mais espantoso de toda a história artística bracarense”.

Morreu em 1769 com 49 anos.

220px-Igreja_de_Santa_Maria_Madalena-Braga