6 de janeiro de 1971

6 de janeiro de 1971

Neste dia aconteceu em plena época marcelista a primeira reunião plenária das conversações exploratórias entre Portugal e a Comunidade Económica Europeia (CEE), para a adesão do nosso país a esta organização.

Este processo culminou com a entrada formal de Portugal na CEE em 1986.

Personalidade nascida neste dia

O historiador, professor universitário, político e comentador José Álvaro Machado Pacheco Pereira nasceu no Porto no dia 6 de janeiro de 1949.

A sua atividade política começou no Partido Comunista Português, mas foi deputado pelo Partido Social Democrata durante quatro legislaturas entre 1987 e 2011.

Além de professor universitário e comentador, tem feito ao longo destas décadas uma recolha sistemática de informação sobre a vida política portuguesa, tendo provavelmente a maior biblioteca privada portuguesa com cerca de 110 000 títulos.

A sua obra é demasiado vasta para ser referida aqui, mas saliento a biografia de Álvaro Cunhal, da qual já foram publicados alguns volumes.

pacheco-pereira

 

 

4 de janeiro de 1960

4 de janeiro de 1960

Neste dia na cidade de Estocolmo sete países (Reino Unido, Portugal, Dinamarca, Noruega, Suiça, Áustria e Suécia) assinaram a convenção que instituiu a Associação Europeia de Comércio Livre, em inglês com o acrónimo EFTA, que significa European Free Trade Association.

Atualmente, porque foi criada a Comunidade Económica Europeia, hoje União Europeia (UE), fazem parte da EFTA apenas quatro países: Suiça, Noruega, Islândia admitida em 1970 e o Lichtenstein admitido em 1991.

A área geográfica da UE e da EFTA constitui o que se designa por Espaço Económico Europeu.

Contudo, o que há a reter é o facto de Portugal ter sido um dos países fundadores da EFTA, beneficiando até janeiro de 2002 dos seus apoios financeiros para o desenvolvimento industrial.

Personalidade nascida neste dia

Nasceu em Angra do Heroísmo no dia 4 de janeiro de 1871, Ruy Telles Palhinha, que veio a ser um eminente botânico e professor universitário dedicado à exploração sistemática da flora açoriana.

Começou por ser professor de liceu em Santarém, onde também foi presidente da Câmara de 1899 a 1900. Na Universidade de Lisboa foi professor e diretor da Faculdade de Farmácia e professor da Faculdade de Ciências, tendo ainda sido secretário e dirigido a biblioteca e o Jardim Botânico.

Morreu no dia 13 de novembro de 1957 num brutal acidente de viação, sem terminar a obra dedicada às espermatófitas açorianas, que considerava a última peça dos seus estudos acerca da flora açoriana.

220px-Ruy_Telles_Palhinha