19 de julho de 1717

19 de julho de 1717

Neste dia travou-se no mar Mediterrâneo no extremo sul da Grécia uma batalha naval entre uma armada de aliados cristãos e a armada do Império Otomano, que ficou conhecida como a Batalha de Matapão.

A armada cristã era constituída por forças de Portugal, da república de Veneza, da Ordem de Malta e dos Estados Pontifícios com 22 naus, 21 fragatas e 9 galés em contraponto com a armada otomana de 34 naus, 1 fragata e 24 galés.

A componente portuguesa dos aliados cristãos era comandada pelo almirante Lopo Furtado de Mendonça, o conde de Rio Grande. Tinha sete naus de guerra e quatro naves auxiliares, 526 canhões e 3480 homens.

O papel das forças portuguesas nesta batalha foi considerado um grande êxito diplomático para o rei D. João V projetando o reino português na Europa.

Refira-se que não terá sido alheia à participação portuguesa nesta batalha a eleição de D. António Manuel de Vilhena para grão-mestre da Ordem de Malta, papel que exerceu com grande distinção para ainda hoje ser considerado um dos mais importantes mestres desta ordem.

Personalidade nascida neste dia

No dia 19 de julho de 1885 nasceu Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches em Cabanas de Viriato.

Ficou conhecido por ter desafiado as ordens de António de Oliveira Salazar e, enquanto cônsul de Portugal em Bordéus, concedeu milhares de vistos de entrada em Portugal durante três dias e três noites a refugiados que queriam fugir de França em 1940 durante a ocupação Nazi.

A sua carreira diplomática é caraterizada por diversas situações que sempre o colocaram em posições menos ortodoxas e merecedoras de repreensão, além das constantes dificuldades financeiras em que vivia.

A sua desobediência às ordens de Salazar valeram-lhe um processo disciplinar que culminou com um ano de inatividade e direito a metade do seu salário habitual, seguido de aposentação.

Teve um final de vida muito atribulado, com muitas dificuldades financeiras, querelas familiares e acaba por morrer praticamente só no Hospital da Ordem Terceira na companhia de uam sobrinha.

O reconhecimento do seu valor aconteceu muito tarde, apesar de ter concedido vistos a pessoas como Otto de Habsburgo, filho de Carlos I, o último imperador austro-húngaro ou a Salvador Dali e sua mulher.

ariatides-principal

 

 

 

 

15 de abril de 1377

15 de abril de 1377

Nesta data chegou a Santarém uma embaixada do rei de Castela com o intuito de fazer uma aliança com Portugal contra o reino de Aragão.

Personalidade nascida neste dia

A cidade de Aveiro viu nascer no dia 15 de abril de 1902 um dos mais famosos jornalistas portugueses do século XX, Fernando Luís de Oliveira Pessa.

Iniciou a sua atividade de jornalista na Emissora Nacional que, pelo seu desempenho, deu origem a um convite da BBC para trabalhar na secção brasileira desta rádio inglesa.

Viveu em Londres durante os bombardeamentos da II Guerra Mundial e as suas crónicas tiveram uma grande popularidade neste período, para a qual também contribuiu a censura imposta em Portugal por António de Oliveira Salazar.

Realizou a primeira emissão da RTP em direto na Feira Popular de Lisboa, mas só no dia 1 de janeiro de 1976 entrou para os quadros desta operadora de televisão, ostentando já 74 anos.

Ficaram célebres os seus bilhetes postais, que denunciavam situações menos simpáticas do quotidiano português, e que terminavam invariavelmente com a expressão E esta, hein?.

O seu trabalho como correspondente durante a II Guerra Mundial valeu-lhe a distinção com a Ordem do Império Britânico e em Portugal foi agraciado com a comenda da Ordem do Infante D. Henrique (13 de julho de 1981) e com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Mérito (10 de junho de 1991).

Reformou-se em 1995 com 93 anos e morreu no dia 29 de abril de 2002, poucos dias depois de ter completado 100 anos de vida.

2014-04-28-fernando-pessa