30 de julho de 1848

30 de julho de 1848

Neste dia foi inaugurada a iluminação pública a gás em Lisboa no Chiado com 26 candeeiros que pertenciam à Companhia Lisbonense d’Iluminação a Gaz.

Personalidade nascida neste dia

No dia 30 de julho de 1878 nasceu o poeta e jornalista português, António Corrêa d’Oliveira.

Publicou as suas obras durante mais de 60 anos, tendo começado com 16 anos e com uma obra denominada Ladainha.

A sua grande obra é, de acordo com muitos, Tentações de Sam Frei Gil e Verbo Ser e Verbo Amar.

Foi um poeta do Saudosismo, ligado ao Integralismo Lusitano e a revistas como a Seara Nova.

Não se pode falar deste poeta sem mencionar que foi nomeado para o Prémio Nobel da Literatura quinze vezes, sendo o português que mais nomeações teve até hoje.

Morreu com 81 anos em 1960.

antonio_correia_oliveira

28 de junho de 1927

28 de junho de 1927

Neste dia o médico e professor, Egas Moniz, realizou a primeira angiografia cerebral com sucesso num doente vivo.

220px-Cerebral_angiography,_arteria_vertebralis_sinister_injection

Esta técnica inventada por ele mereceu a sua nomeação para o Prémio Nobel da Medicina por quatro vezes, que finalmente viria a ganhar em 1949 pela descoberta da leucotomia pré-frontal.

Personalidade nascida neste dia

No dia 28 de junho de 1910 nasceu Manuel Alfredo de Macedo Tito de Morais, engenheiro eletrotécnico e político português.

Foi um resistente anti-salazarista, tendo sido preso pela PIDE e vivido no exílio em diversos países de África e da Europa.

Após o 25 de abril de 1974 foi deputado, secretário de estado, vice-presidente e presidente da Assembleia da República, sempre pelo Partido Socialista, do qual foi um dos fundadores.

Recebeu diversas condecorações nacionais e estrangeiras como reconhecimento dos serviços prestados à nação portuguesa.

Morreu com 89 anos no dia 14 de dezembro de 1999.

tito_morais

 

27 de dezembro de 1703

27 de dezembro de 1703

Neste dia foi assinado entre Portugal e Inglaterra o Tratado de Methuen.

O nome do tratado é o mesmo do diplomata inglês, John Methuen que, em representação da rainha Ana de Inglaterra, negociou com o embaixador português, D. Manuel Teles da Silva, marquês de Alegrete.

Com este tratado, Portugal comprometeu-se a consumir os têxteis britânicos e Inglaterra, em contrapartida, passou a comprar mais vinhos portugueses em detrimento dos franceses. Por ser este o seu conteúdo essencial, este tratado também ficou conhecido como o Tratado dos Panos e dos Vinhos.

Personalidade nascida neste dia

No dia 27 de dezembro de 1852 nasceu em Alcântara, Lisboa, o dramaturgo português, D. João Maria Gonçalves Zarco da Câmara.

Foi o primeiro português a ser nomeado para o Prémio Nobel da Literatura, facto que ocorreu em 1901.

Era filho dos marqueses da Ribeira Grande, D. Francisco de Sales Gonçalves Zarco da Câmara e D. Ana da Piedade Brígida Senhorinha Francisca Máxima Gonzaga de Bragança Mello e Ligne Sousa Tavares Mascarenhas da Silva Câmara.

A sua carreira profissional esteve centrada nas obras públicas ferroviárias, destacando-se a construção do ramal de Cáceres, das linhas de Sintra e Cascais e a chefia da Administração Central de Caminhos de Ferro.

Contudo, a escrita era a sua paixão e foi o drama histórico, D. Afonso VI, estreado no dia 13 de março de 1890 no Teatro Nacional D. Maria II, que lhe trouxe o êxito.

A sua obra prima é a comédia Os Velhos estreada no mesmo teatro no dia 11 de março de 1893, ou seja, três anos depois.

Tem muitas outras peças escritas, assim como participações em publicações periódicas.

Morreu no dia 2 de janeiro de 1908 na Rua da Junqueira em Alcântara.

D._João_Gonçalves_Zarco_da_Câmara_-_O_Occidente_(1_Abr._1890).png

29 de novembro de 1387

29 de novembro de 1387

Neste dia foi assinada uma trégua de três anos entre Portugal e Castela depois de diversas batalhas subsequentes à Batalha de Aljubarrota.

A assinatura foi feita em Monção entre D. João I de Portugal e D. João I de Castela e permitiu a Portugal reaver as praças de Olivença, Mértola, Castelo Mendo e Castelo Melhor, tendo Portugal cedido Salvaterra e Tui.

Personalidade nascida neste dia

No dia 29 de novembro de 1874 nasceu aquele que viria ser o primeiro Prémio Nobel português, António Caetano de Abreu Freire Egas Moniz.

Provinha de uma família aristocrata rural, os viscondes de Baçar.

O seu tio paterno e padrinho, padre Caetano de Pina Resende Abreu e Sá Freire, insistiu para que fosse adicionado Egas Moniz ao seu apelido devido à sua descendência direta do aio de D. Afonso Henriques, Egas Moniz.

150px-Egas_Moniz_na_Estacao_S._Bento

A sua atividade médica já foi descrita sucintamente no post relativo à atribuição do prémio Nobel em 27 de outubro de 1949.

O Professor Egas Moniz também se distinguiu nas áreas política e literária, tendo sido fundador do Partido Republicano Centrista.

Foi embaixador de Portugal em Madrid em 1917 e em 1918 foi Ministro dos Negócios Estrangeiros.

Em termos literários destacam-se as obras “A nossa casa” e “Confidências de um investigador científico”. Realce ainda para um notável ensaio de crítica literária sobre a obra de Júlio Dinis, publicado em 1924, no qual demonstrou que este escritor se tinha inspirado em personagens reais.

Morreu em Lisboa no dia 13 de dezembro de 1955.

200px-Moniz

16 de novembro de 1989

16 de novembro de 1989

Neste dia Portugal assume pela primeira vez a presidência do Conselho da Europa, organização internacional fundada em 5 de maio de 1949. É a instituição europeia mais antiga em funcionamento, sendo os seus propósitos a defesa dos direitos humanos, o desenvolvimento democrático e a estabilidade político-social na Europa.

Pertencem a esta instituição a Convenção Europeia dos Direitos Humanos e o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Atualmente são 47 os Estados membros, incluindo os 28 da União Europeia, englobando cerca de 800 milhões de pessoas.

A adesão de Portugal ao Conselho da Europa aconteceu no dia 22 de setembro de 1976.

Personalidade nascida neste dia

No dia 16 de novembro de 1922 nasceu na Azinhaga, concelho da Golegã, aquele que viria a ser prémio Nobel da Literatura, José de Sousa Saramago.

Foi escritor, argumentista, jornalista, dramaturgo, contista, romancista, teatrólogo, ensaísta e poeta.

Além do prémio Nobel da Literatura atríbuido em 1998, recebeu em 1995 o Prémio Camões. Também foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada em 24 de agosto de 1985, tendo a 3 de dezembro de 1998 sido elevado a Grande-Colar da mesma ordem, uma honra que está reservada apenas a chefes de Estado.

A sua vasta obra, traduzida em muitas línguas, tem romances como O Memorial do Convento ou O Evangelho segundo Jesus Cristo.

Foi um grande opositor da igreja católica e comunista assumido com atividade política.

Morreu com 87 anos no dia 18 de junho de 2010.

Saramago,_José_(1922)-2

27 de outubro de 1949

27 de outubro de 1949

Neste dia foi atribuído a António Cetano de Abreu Freire Egas Moniz, médico, neurologista, investigador, professor, político e escritor, o prémio Nobel de Fisiologia ou Medicina, que foi partilhado com Walter Rudolf Hess.

200px-Moniz

Refira-se que o Prof. Egas Moniz foi proposto para o prémio Nobel por cinco vezes (1928, 1933, 1937, 1944 e 1949), tendo sido finalmente galardoado em 1949.

O prémio é-lhe atribuído pela introdução de um procedimento cirúrgico, denominado por leucotomia pré-frontal, mais tarde designado por lobotomia, que foi particularmente útil no tratamento da esquizofrenia. Refira-se que nessa época não existia um tratamento efetivo para a esquizofrenia e este procedimento tornou as consequências desta doença mais suportáveis para os doentes.

Contudo, na década de 50 do século XX a introdução de um medicamento eficaz no tratamento da esquizofrenia, clorpromazina, tornou este procedimento cirúrgico uma alternativa se a terapia medicamentosa não produzisse os efeitos desejados.

Após forte controvérsia na década de 60, este procedimento cirúrgico deixou de ser praticado, tendo inclusivamente sido exigido por alguns familiares de doentes a anulação do prémio Nobel atribuído a Egas Moniz.

Personalidade nascida neste dia

No dia 27 de outubro de 1838, nasceu em Lisboa Adolfo de Lima Mayer, que foi sócio-gerente da firma Lima Mayer e Filhos, foi responsável pela distribuição em Portugal dos explosivos Nobel, fundou a Companhia de Gás de Lisboa e o Banco Lisboa & Açores, tendo-lhe sido atribuída a comenda da Ordem Militar de Cristo no dia 19 de abril de 1879.

Adolfo de Lima Mayer mandou construir na Avenida da Liberdade o Palácio Lima Mayer, que é atualmente o Consulado de Espanha.

palcio_lima_mayer

Este palácio, projetado pelo arquiteto italiano Nicola Bigaglia, ganhou em 1902 o 1.º Prémio Valmor. Refira-se que nos seus jardins foi criado em 1921 o Parque Mayer, local histórico para o teatro e para a revista portuguesa.

Adolfo de Lima Mayer morreu no dia 16 de março de 1918.

adolfo_lima_mayer

8 de outubro de 1998

8 de outubro de 1998

Neste dia a Academia Sueca anunciou a atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago, que assim se torna o segundo português a receber esta distinção, depois de Egas Moniz.

jose_saramago

Na sua nota à imprensa, a Academia Sueca refere que “José Saramago que, com parábolas portadoras de imaginação, compaixão e ironia torna constantemente compreensível uma realidade fugidia”.

As obras destacadas são, por exemplo, “Manual de Pintura e Caligrafia: um romance”, que ajuda-nos a entender o que viria a acontecer mais tarde; “Memorial do Convento”, de 1982, como o romance que o torna célebre; “O Ano da Morte de Ricardo Reis”, como um dos pontos altos da sua produção literária e “O Evangelho segundo Jesus Cristo”, romance sobre a vida de Jesus que encerra na sua franqueza reflexões merecedoras de atenção sobre grandes questões.

A Academia Sueca destaca também as suas última obras literárias,”Ensaio sobre a Cegueira” e “Todos os Nomes”. Considera esta academia que a sua obra literária apresenta-se como uma série de projectos onde um, mais ou menos, desaprova o outro mas onde todos representam novas tentativas de se aproximarem da realidade fugidia.

Personalidade nascida neste dia

No dia 8 de outubro de 1855 nasceu em Lisboa Domingos Pinto Coelho, oriundo de uma família de ilustres juristas, a começar pelo seu pai, Dr. Carlos Zeferino Pinto Coelho que foi dirigente do Partido Legitimista.

Durante 50 anos foi advogado da Companhia das Águas de Lisboa, tendo chegado a Presidente da Assembleia Geral. Seguiu os passos do seu pai enquanto dirigente do Partido Legitimista, tendo sido preso no dia 9 de outubro de 1910. Em 1919 participa na revolta da Monarquia do Norte e, na sequência da derrota, foi preso e levado para o Porto.

Foi o 4.º Bastonário da Ordem dos Advogados, tendo resignado com 81 anos, por motivos de saúde.

Morreu em Lisboa no dia 14 de julho de 1944.

domingos_pinto_coelho