7 de agosto de 1794

7 de agosto de 1794

Neste dia teve lugar em Portugal o último auto-de-fé, 254 anos depois do primeiro que ocorreu no dia 20 de setembro de 1540.

O último auto-de-fé pela inquisição espanhola só aconteceu em 1826, ou seja, Portugal eliminou esta prática três décadas antes.

Pedro_Berruguete_Saint_Dominic_Presiding_over_an_Auto-da-fe_1495.jpg

Personalidade nascida neste dia

No dia 7 de agosto de 1911 nasceu em Ansião o poeta Políbio Gomes dos Santos.

Morreu muito cedo de tuberculose no dia 3 de agosto de 1939, ou seja, ainda antes de completar 28 anos.

A sua Magnum opus é Poemas.

Apesar da sua vida muito curta foi colaborador da revista Presença e fez parte do grupo Novo Cancioneiro.

Políbio.png

21 de junho de 1662

21 de junho de 1662

Neste dia o Padre António Vieira foi chamado a depor perante a Inquisição por delito de heresia, dado que optou pela causa de oposição a D. Afonso VI, rei fraco e portador de deficiência mental.

Este depoimento deu origem à Resposta aos 25 Capítulos da acusação contra ele e os jesuítas do Maranhão e Grão-Pará.

Personalidade nascida neste dia

No dia 21 de junho de 1854 nasceu Guilherme Charters Henriques de Azevedo.

Foi um distinto militar das forças armadas portuguesas, tendo sido Ajudante de Campo do rei D. Carlos e de D. Manuel II.

Morreu em Lisboa no dia 8 de agosto de 1928.

guilherme_charters_azevedo

 

 

25 de maio de 1773

25 de maio de 1773

Neste dia, sob a influência do Marquês de Pombal, D. José I, rei de Portugal, promulgou a lei que extinguiu as diferenças entre cristãos velhos e cristão novos.

Com esta lei, o Marquês de Pombal pretendeu transformar a Inquisição num instrumento político, esvaziando-a de uma das suas principais competências, que era perseguir todos aqueles que professavam outras religiões.

Personalidade nascida neste dia

No dia 25 de maio de 1922 nasceu Gonçalo Pereira Ribeiro Telles, arquiteto paisagista, ecologista e político português.

Foi subsecretário de Estado nos três primeiros governos provisórios depois do 25 de abril e Ministro de Estado e da Qualidade de Vida no VII Governo Constitucional, entre 1981 e 1983.

Enquanto ministro deixou uma marca importante com a criação das zonas protegidas da Reserva Agrícola Nacional, da Reserva Ecológica Nacional e das bases do Plano Diretor Municipal (PDM).

Tem pautado a sua vida pública pela defesa de valores ambientais e paisagistas, tendo recebido em abril de 2013 o prémio Sir Geoffrey Jellicoe, a mais importante distinção internacional na arquitetura paisagista.

O Presidente da República Américo Tomás concedeu-lhe o grau de Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada no dia 31 de outubro de 1969 e o presidente da república Mário Soares concedeu-lhe a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e a a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade, respetivamente a 6 de abril de 1988 e a 10 de junho de 1990.

goncalo_ribeiro_telles.JPG

8 de maio de 1758

8 de maio de 1758

Nesta data foi publicado o alvará de D. José I que declarou que todos os índios do Brasil eram livres.

Personalidade nascida neste dia

No dia 8 de maio de 1705 nasceu no Rio de Janeiro o escritor e dramaturgo português António José da Silva Coutinho.

É considerado um dos maiores dramaturgos portugueses de todos os tempos, tendo tido a sua vida retratada por Camilo Castelo Branco na obra O Judeu.

A sua maior obra é Guerras de Alecrim e Manjerona.

Foi condenado pela Inquisição e queimado num Auto-de-Fé em Lisboa no mês de outubro de 1739.

António_José_da_Silva

5 de abril de 1768

5 de abril de 1768

Neste dia foi publicado o alvará que cria a Real Mesa Censória com o objetivo de transferir para o Estado a fiscalização das obras que se pretendia publicar no reino português.

Foi também uma forma encontrada pelo marquês de Pombal de concentrar em si o poder que até esta data era exercido pelo Tribunal do Santo Ofício, do Desembargo do Paço e do Ordinário, ou seja, a Inquisição Portuguesa.

Esta instituição foi reformada pela rainha D. Maria I e mais tarde extinta pela Carta de Lei de 17 de dezembro de 1794.

Personalidade nascida neste dia

No dia 5 de abril de 1907 nasceu em Santos-o-Velho, Lisboa, o poeta português Carlos Queirós, de seu nome completo José Carlos de Queirós Nunes Ribeiro.

Este poeta do denominado segundo modernismo português foi um dos nomes mais importantes da revista Presença. Aliás, ele desempenhou um papel fundamental na ligação entre o primeiro modernismo português da revista Orpheu e o já referido segundo modernismo.

A participação de Carlos Queirós na revista Presença iniciou-se no seu número 5 publicado em 1927 e que também teve como autores Fernando Pessoa e Almada Negreiros.

Morreu em Paris no dia 28 de outubro de 1949.

200px-Carlos_queiroz

 

31 de março de 1821

31 de março de 1821

A extinção da inquisição portuguesa foi acontecendo gradualmente ao longo do século XVIII.

Contudo, a sua extinção formal em Portugal só acontece neste dia durante uma sessão das Cortes Gerais.

Há alguns historiadores que consideram que a essência da inquisição permaneceu dentro da Igreja Católica sob a forma da Congregação para a Doutrina da Fé.

Personalidade nascida neste dia

A cidade de Lisboa viu nascer no dia 31 de março de 1682 o presbítero, escritor e bibliófilo português, Diogo Barbosa Machado.

Foi o autor da primeira obra de referência bibliográfica portuguesa denominada Bibliotheca Lusitana.

Refira-se ainda que ofereceu toda a sua impressionante biblioteca ao rei D. José I depois da biblioteca real ter sido consumida por um incêndio na sequência do terramoto de 1755.

Este acervo foi levado para o Brasil em 1807 quando a família real aí se refugiou, constituindo hoje uma das partes mais preciosas da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Morreu no dia 9 de agosto de 1772.

220px-Diogo_Barbosa_Machado

6 de fevereiro de 1294

6 de fevereiro de 1294

A primeira pedra do Castelo do Alandroal foi lançada no dia 6 de fevereiro de 1294 por D. Lourenço Afonso, Mestre da Ordem de Avis.

castelo_alandroal

A sua edificação foi concluída no dia 24 de fevereiro de 1298 pelo construtor identificado numa inscrição no torreão à direita do portão principal como Eu, Mouro Galvo.

Personalidade nascida neste dia

O religioso, filósofo, escritor e orador português da Companhia de Jesus, Padre António Vieira, nasceu em Lisboa no dia 6 de fevereiro de 1608.

Foi uma das personagens mais influentes do século XVII, tendo defendido os direitos dos povos indígenas do Brasil, os judeus e a abolição da escravatura.

Foi ainda um grande crítico do comportamento dos sacerdotes da sua época, bem como da Inquisição.

Na literatura ficaram famosos os seus sermões como  o “Sermão da Quinta Dominga da Quaresma”, o “Sermão da Sexagésima”, o “Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda”, o “Sermão do Bom Ladrão” e “Sermão de Santo António aos Peixes”.

O Padre António Vieira deixou mais de 700 cartas e 200 sermões escritos, destacando-se ainda a redação do livro de profecias Clavis Prophetarum que nunca chegou a concluir.

A sua obra completa em 30 volumes só começou a ser publicada em 2013, quase quatro séculos depois da sua morte.

Morreu em Salvador no dia 18 de julho de 1697.

220px-Padre_António_Vieira

 

 

2 de fevereiro de 1559

2 de fevereiro de 1559

Neste dia D. Constantino de Bragança, 7.º Vice-Rei da Índia, conquistou Damão ao rei de Cambaia e tomou também a fortaleza de Balasar, atualmente no estado indiano de Gujarate.

200px-Constantino_de_Bragança

Personalidade nascida neste dia 

O historiador e humanista português Damião de Góis nasceu em Alenquer no dia 2 de fevereiro de 1502.

Era caraterizado por ter uma mente enciclopédica e foi um espírito crítico da sua época.

Foi educado na corte de D. Manuel I e entre 1528 e 1531 efetuou diversas missões diplomáticas e comerciais na Europa.

As suas obras humanistas valeram-lhe perseguições pelo clero e dois processos no Tribunal do Santo Ofício.

Em 1548 foi nomeado guarda-mor dos Arquivos Reais da Torre do Tombo, tendo sido escolhido pelo cardeal D. Henrique para escrever a crónica real de D. Manuel I, obra que terminou em 1567.

Contudo, o rigor desta obra valeu-lhe a inimizade de alguns nobres e voltou a cair nas garras do Santo Ofício. Foi preso, abandonado pela família e transferido para o Mosteiro da Batalha.

Foi assassinado no dia 30 de janeiro de 1574.

225px-Damian_de_gois