2 de agosto de 1932

2 de agosto de 1932

Neste dia chegaram a Portugal os restos mortais do último rei de Portugal, D. Manuel II, falecido inesperadamente um mês antes de um edema da glote.

O funeral foi autorizado pelo governo português com honras de estado e jaz sepultado no Panteão dos Braganças no Mosteiro de São Vicente de Fora.

Personalidade nascida neste dia

No dia 2 de agosto de 1929 nasceu na cidade de Aveiro o cantor e compositor português José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, mais conhecido por Zeca Afonso.

O seu legado está essencialmente relacionado com as denominadas canções de intervenção e pela luta contra o Estado Novo.

As suas origens musicais estão relacionadas com o fado de Coimbra e ficou famosa a sua composição Grândola, Vila Morena, que foi utilizada como senha pelo Movimento das Forças Armadas na Revolução dos Cravos.

Morreu no dia 23 de fevereiro de 1987, vítima de esclerose lateral amiotrófica.

A sua obra continua a ser cantada por inúmeros artistas.

zeca2

 

 

Anúncios

25 de julho de 1139

25 de julho de 1139

Neste dia travou-se a Batalha de Ourique no atual Baixo Alentejo entre as forças portuguesas comandadas por D. Afonso Henriques e as forças muçulmanas em muito maior número e lideradas por Ali ibn Yusuf.

BatalhaOurique

Apesar de estarem em desvantagem numérica, as tropas de D. Afonso Henriques derrotaram o exército de almorávidas.

Esta vitória é o primeiro momento em que D. Afonso Henriques é aclamado como rei de Portugal, reconhecimento que lhe foi oficialmente feito no Tratado de Zamora a 5 de outubro de 1143.

Personalidade nascida neste dia

A data, bem como o local de nascimento, do nosso rei fundador, D. Afonso Henriques, permanece sem certezas.

Contudo, alguns autores defendem que o primeiro rei de Portugal terá nascido no dia 25 de julho de 1109, filho do Conde D. Henrique e de D. Teresa de Leão.

Após a morte do seu pai, D. Afonso Henriques encetou uma luta contra a sua mãe que se tinha aliado a nobres galegos, designadamente Fernão Peres de Trava.

O reconhecimento como rei de Portugal por parte do reino de Leão foi efetivado a 5 de outubro de 1143 no Tratado de Zamora e em 1179 pelo papa Alexandre III através da bula Manifestis Probatum.

Ficou conhecido pelo cognome de o Conquistador, tendo duplicado o território que herdara.

Morreu com 76 anos no dia 6 de dezembro de 1185 e jaz sepultado no Mosteiro de Santa Cruz em Coimbra.

alfonsoi

17 de julho de 1381

17 de julho de 1381

Neste dia travou-se a batalha naval de Saltes durante a terceira guerra fernandina entre as forças portuguesas comandadas por João Afonso Telo e as forças castelhanas comandadas por Fernando Sánchez de Tovar.

Esta batalha terminou com uma vitória retumbante das forças castelhanas, dado que a armada portuguesa perdeu 22 das 23 galés e respetivas tripulações em contraponto com baixas mínimas do lado de Castela.

Esta vitória deu ao reino de Castela a supremacia naval no Oceano Atlântico.

Personalidade nascida neste dia

No dia 17 de julho de 1866 nasceu António José de Almeida em São Pedro de Alva.

Foi o sexto presidente da república e o único da primeira república a fazer um mandato completo (5 de outubro de 1919 a 5 de outubro de 1923).

Foi ainda ministro do Interior entre 5 de outubro de 1910 e 3 de outubro de 1911 no governo chefiado por Teófilo Braga.

Durante a sua presidência deu posse a dezasseis governos ou dezassete se contarmos com o “Governo dos Cinco Minutos”, que foi exonerado no mesmo dia em que foi nomeado (15 de janeiro de 1920).

Foi também durante a sua presidência que se iniciaram as visitas de Estado no sentido moderno da expressão.

Depois de ter terminado o seu mandato voltou a ser eleito como deputado nas eleições legislativas de 1925, mas a gota colocou-o numa cadeira de rodas e acabou por morrer no dia 31 de outubro de 1929.

Retrato_do_Presidente_António_José_de_Almeida_(c.1932)_-_Henrique_Medina.png

 

12 de julho de 1824

12 de julho de 1824

Neste dia iniciaram-se as conversações entre Portugal e o Brasil que viriam a culminar com a independência deste último país.

Estas negociações tiveram a mediação britânica e um representante austríaco no processo.

Personalidade nascida neste dia

No dia 12 de julho de 1780 nasceu em Castelo de Vide o estadista, jurisconsulto e político português José Xavier Mouzinho da Silveira.

Foi uma das personagens centrais da revolução liberal, tendo inclusivamente que se exilar em 1828 em Paris pela defesa intransigente que sempre fez da Carta Constitucional.

Foi também o responsável por mudanças  institucionais muito significativas nas áreas da fiscalidade e da justiça.

Regressou do exílio em 1834 para defender as suas ideias no Parlamento, mas voltou a exilar-se em 1836 novamente em França.

Regressou a Portugal em 1839 e ainda desempenhou algumas funções públicas.

Morreu no dia 4 de abril de 1849 em Lisboa.

Mouzinho_Silveira1

8 de julho de 1497

8 de julho de 1497

Neste dia partiu de Lisboa a armada comandada por Vasco da Gama para tentar chegar à Índia dobrando o Cabo da Boa Esperança ou Cabo das Tormentas.

Caminho_maritimo_para_a_India

Esta viagem acabou por ser bem sucedida com a descoberta desta rota de comércio entre a Índia e a Europa e que foi muito lucrativa para Portugal.

Refira-se que inicialmente o comando desta expedição tinha sido atribuído pelo rei D. João II a Estevão da Gama, pai de Vasco da Gama. Contudo, com a morte do rei e de Estevão da Gama o rei D. Manuel I designou Vasco da Gama para a liderança desta importante tarefa.

Personalidade nascida neste dia

No dia 8 de julho de 1925 nasceu em Tremês aquele que é um dos maiores historiadores portugueses, Joaquim Veríssimo Serrão.

A sua grande obra é a História de Portugal em XVIII volumes.

É professor jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, comendador da Ordem da Instrução Pública a 9 de julho de 1971 e foi reitor da Universidade de Lisboa entre 1973 e 1974. Foi também presidente da Academia de História entre 1975 e 2006.

Recebeu o Prémio das Astúrias em 1995 e em 9 de junho de 2006 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada.

verissimo_serrao_santarem_2008-020-web

3 de julho de 1821

3 de julho de 1821

Depois da transferência da corte portuguesa para o Brasil para fugir das invasões napoleónicas, no dia 3 de julho de 1821 aconteceu o regresso a Lisboa depois de 13 anos naquele país.

Contudo, porque havia uma grande contestação ao afastamento da corte de Portugal durante este período, o regresso de D. João VI e respetivo séquito não teve o mesmo impacto junto da população comparativamente ao que tinha acontecido com a sua partida.

domjoaoviemportugal

Personalidade nascida neste dia

No dia 3 de julho de 1850 nasceu o compositor, poeta, pintor, arqueólogo e colecionador de arte, Alfredo Cristiano Keil.

Qualquer referência a esta personalidade tem que começar por mencionar que foi o compositor d’ A Portuguesa, atual hino nacional português e que surge depois do ultimato britânico em 1891.

A sua ascendência era alemã, de pai e mãe, tendo efetuado toda a sua educação básica na Alemanha, o que explica as influências do romantismo que ficaram patentes nas centenas de quadros que deixou.

Morreu na cidade alemã de Hamburgo no dia 4 de outubro de 1907.

alfredo-keil

 

2 de julho de 1890

2 de julho de 1890

Nesta data Portugal assinou o Acto Geral da Conferência Internacional de Bruxelas, cujo objetivo foi terminar com o comércio de escravos e regulamentar o comércio de armas e bebidas alcoólicas em África

Personalidade nascida neste dia

No dia 2 de julho de 1861 nasceu em Lisboa o político português D. Duarte Borges Coutinho de Medeiros Sousa Dias da Câmara.

Formou-se em Direito na Universidade de Coimbra e foi Oficial-Mor da Casa Real e Par do Reino.

Foi também o quarto presidente da Câmara Municipal de Loures nos períodos de 1896 a 1898 e de 1902 a 1904.

O rei D. Carlos atribuiu-lhe o título de 2.º Marquês da Praia e Monforte.

Morreu no dia 25 de junho de 1907 em Lisboa.

duarte_camara

1 de julho de 1867

1 de julho de 1867

Neste dia Portugal aboliu formalmente a pena de morte, tendo sido o segundo estado da Europa moderna a fazê-lo a seguir ao Grão-Ducado da Toscana.

Esta abolição aplicava-se apenas aos crimes civis, ou seja, manteve-se no Código de Justiça Militar.

A Constituição Portuguesa considera atualmente a pena de morte um ato proibido e ilegal (alínea 2 do artigo 24.º).

Personalidade nascida neste dia 

No dia 1 de julho de 1920 nasceu a maior fadista portuguesa, de seu nome Amália da Piedade Rodrigues.

A sua notoriedade garantiu-lhe a presença no Panteão Nacional, monumento onde jazem os portugueses mais ilustres.

É impossível fazer uma descrição resumida da carreira artística de Amália Rodrigues, dada a sua variedade e grandeza.

Contudo, impõe-se destacar que uma das suas grandes contribuições para o fado foi ter cantado poemas dos grandes autores portugueses como Luís de Camões, David Mourão Ferreira ou José Carlos Ary dos Santos, para mencionar apenas alguns.

Foi artista de revista e de cinema, além de enorme fadista.

Deu inúmeros espetáculos em Portugal e no estrangeiro e granjeou uma notoriedade internacional difícil de equiparar.

O reconhecimento nacional e internacional traduziu-se nas cinco condecorações nacionais das ordens honoríficas de Sant’Iago da Espada e do Infante D. Henrique e nas cinco condecorações de ordens estrangeiras de países como França, Líbano e Espanha.

Morreu repentinamente no dia 6 de outubro de 1999 na sua casa de Lisboa depois de ter regressado de férias da sua casa no litoral alentejano.

amalia-rodrigues

 

Um ano na história de Portugal – parte II

No dia 5 de outubro de 2015 propus-me publicar um artigo diário relativo a uma efeméride da história de Portugal que tivesse ocorrido naquele dia, bem como referenciar um português relevante que tivesse esse dia como data de nascimento.

Era um projeto para um ano, que foi interrompido no dia 30 de junho de 2016 por diversas razões.

Contudo, gostaria de deixar esta tarefa concluída, identificando 365 eventos marcantes da história de Portugal e 365 portugueses que se tenham distinguido pelas mais diversas ações em diferentes setores da sociedade.

Deste modo, no próximo dia 1 de julho reiniciarei a publicação diária até ao dia 4 de outubro de 2017 para fechar este ciclo.

Será este o meu contributo para os pouquíssimos leitores destes muito humildes textos, para que nunca confundamos passado com saudosismo.

O passado é uma excelente fonte de aprendizagem que negligenciamos frequentemente.

Ler o passado para no presente prepararmos o futuro.

Portugal e Angola

Acabei de ler quase de um fôlego os livros “Luanda como ela era 1960-1975” e “S.O.S. Angola – os dias da ponte aérea” da Rita Garcia.São 15 anos alucinantes com muitas coisas boas e muitas coisas más, nos quais fica evidente que a diferença está sempre nas pessoas e na capacidade de fazer o que é correto. Os relatos destes dois livros mostram de forma muito clara que “o certo e o errado” são sempre dependentes do referencial que temos definido no nosso sistema cartesiano.

Contudo, é importante que estas memórias não se percam porque fazem parte da história de povos afastados por milhares de quilómetros, mas que terão sempre a uni-los uma identidade suportada pelo maior património de um povo: a língua.

Sejamos capazes de ceder à tentação fácil dos ódios individuais e dos interesses económicos para não perder o que levou séculos a cimentar apesar dos erros cometidos por ambas as partes.

Sejamos capazes de unir novamente o que a história e os homens separaram, mas que essa união seja “atada” com laços culturais e de cooperação entre iguais.